Tecnologia Flex™ – uma experiência de extração completamente nova

Com um funil único que pode ajustar à sua forma individual, a mais recente inovação da Medela foi desenvolvida para tornar a extração mais fácil e eficaz. Continue a ler para saber como

Medela FlexTM - woman pumping with Flex

Quando extrai leite para o seu bebé – tanto ocasionalmente, como todos os dias – quer que a experiência seja tão confortável e eficaz quanto possível.

O funil – a peça do kit de extração que se ajusta sobre o seu mamilo e a sua mama quando extrai – tem um papel fundamental no conforto e eficácia durante a extração do leite.1 Tendo isto em mente, a Medela sempre se esforçou por oferecer uma gama de tamanhos de túneis de funis que se adaptassem a vários diâmetros de mamilos. No entanto, as equipas da Medela continuaram a questionar-se sobre a possibilidade de otimizar ainda mais o funil.

Margem para melhorias

Um funil tem duas peças principais: um túnel para o mamilo se mover para trás e para a frente e uma peça mais larga e angulada, chamada cone, que é colocada sobre a mama. Idealmente, deve acompanhar a forma da sua mama e não comprimi-la, como explica a Dr.ª Danielle Prime, Investigadora Associada na Área da Amamentação do Departamento de Investigação Médica da Medela: "O ângulo da abertura de um cone do funil típico é 90°. Apesar de esta forma de cone funcionar bem, não se parece com muitos seios que já vi na minha carreira de investigação!

"Não sabíamos se esta peça do extrator tinha impacto na remoção de leite e no ajuste e conforto geral da mãe. Sabíamos que tinha potencial para ser otimizado," diz.

Danielle e os seus colegas utilizaram a primeira base de dados mundial de imagens 3D de mamas lactantes da Medela, para estudarem os variados contornos e formas da mama lactante.2 "Descobrimos que o ângulo de 90° podia ser muito restritivo para algumas mães," diz. "Também descobrimos que o tecido mamário podia não estar a entrar facilmente no cone e a primeira peça do funil que tocava na mama era o rebordo exterior duro, o que pode provocar desconforto."

Um novo ângulo para a extração

Isto levou a equipa de investigadores a experimentar com cones de funis com ângulos diferentes.3 Descobriram que um ângulo de 120° permitia às mães introduzirem o mamilo mais profundamente no túnel do extrator, mas o rebordo soltava-se da mama, aumentando as probabilidades de uma vedação deficiente.

Mas com um ângulo de 105°, a equipa descobriu exatamente o que procurava: "O ângulo de 105° adaptava-se mesmo bem ao contorno da mama. Havia contacto ao longo de toda a superfície do funil e nenhum ponto de compressão no tecido mamário. Achámos que isto podia mesmo aumentar o conforto e promover o fluxo de leite ao longo dos canais de leite," diz a Dr.ª Prime.

Durante a extração, o seu mamilo precisa de estar bem centrado no túnel, para se mover livremente lá dentro, sem roçar. A equipa de investigadores descobriu que o ângulo de 105° também contribuía para isto. "Abrindo ligeiramente o ângulo do cone, o mamilo pode estar dentro do túnel quando se inicia a extração. Atualmente, para dois terços das mães, o mamilo não está dentro do túnel no início da extração. Está mais para trás, longe do túnel. Por isso é difícil perceber se está bem centrado," diz a Dr.ª Prime.

E além disso ainda, o diâmetro do seu mamilo pode aumentar 2 a 3 mm durante a extração ou a amamentação,4 pelo que o tamanho do seu túnel precisa de ser ligeiramente maior do que o seu mamilo, como explica a Dr.ª Prime: "O tamanho do funil tem que ver com a correspondência mamilo-túnel e não com o tamanho do sutiã. Sabemos que muitas mães escolhem o tamanho do seu funil porque na embalagem vem a indicação "L" e elas têm o seios grandes. Mas isso não está correto."

Como regra geral, o túnel do funil deve ser 4 mm maior do que o diâmetro do seu mamilo antes de iniciar a extração. As boas notícias são que a Medela oferece cinco tamanhos de túnel: "Use o nosso guia de tamanhos para se certificar de que adquire o tamanho ideal para si, com base no diâmetro do seu mamilo," diz a Dr.ª Prime.

Nova forma oval e novo rebordo suave

E as inovações não ficaram por aqui. Num ótimo exemplo de colaboração entre peritos – incluindo especialistas em investigação e produtos, design centrado no utilizador e engenharia – juntamente com um trabalho de proximidade com mães lactantes, o funil evoluiu no sentido de incluir uma forma oval que podia rodar 360°. Isto significava que as mães podiam movê-lo na mama até encontrarem uma boa vedação.

"Mantivemos o cone com o ângulo de 105° a toda a volta daquela forma oval, sem nenhuma parte mais aberta do que a outra," explica a Dr.ª Prime. "Por isso não há uma forma errada de o segurar. As mães podem colocá-lo na mama onde acharem que se adapta melhor."

"Dependendo de se a mama está muito ou pouco cheia ou drenada, a sua forma e contorno pode variar e o novo funil também se adapta a isso: "Agora as mães podem experimentar diferentes maneiras de segurar o funil oval, para verem qual é a mais confortável durante a extração," diz a Dr.ª Prime.

Por fim, os engenheiros da Medela também deram ao funil PersonalFit Flex™ um rebordo suave, macio e flexível. Além de providenciar um ajuste muito bom e uma experiência de extração confortável, isto permite que o funil vede bem, de acordo com a forma da mama.

Era a altura para fazer o teste

Com o funil oval de 105° pronto a usar, tinha chegado a hora de o pôr à prova. A equipa realizou quatro estudos clínicos com mães que extraíam leite, em hospitais, nas suas casas e no laboratório na sede da Medela, na Suíça.5

"Um dos testes consistiu na vídeogravação em profundidade do movimento do mamilo durante a extração. Tínhamos uma pequena câmara para mamilo, o que foi divertido! Permitiu-nos ver como a dinâmica do movimento do mamilo era diferente com este novo ângulo mais aberto do funil," revela a Dr.ª Prime. "O que vimos foi a prova de que os mamilos das mães se comportavam exatamente como tínhamos previsto com as imagens 3D."

Com resultados positivos neste teste, a equipa passou para o teste com mães que extraiam exclusivamente e com mães que extraiam ocasionalmente, em hospitais e em casa. E o que acharam?

Manuela, mãe de dois filhos, Suíça, ficou impressionada: "Tenho um tamanho de peito maior e sempre tive dificuldade em encontrar a posição certa com funis redondos. Com o funil oval PersonalFit Flex™ era mais fácil e mais rápido encontrar uma posição boa e era muito mais confortável. E acho que o leite também fluía melhor, talvez porque encontrei a posição em que o mamilo assentava mais confortavelmente."

"As mães sentem que o funil PersonalFit Flex™ está concebido de maneira a adaptar-se melhor à forma da sua mama," diz a Dr.ª Prime. "Isto faz todo o sentido, porque permite que a mama tome forma dentro do funil, em vez de ter que a pressionar para dentro do funil."

Jeannine, mãe de dois filhos, Suíça, concorda: "A primeira vez que experimentei o funil PersonalFit Flex™, coloquei-o e pensei, "Ena, ajusta-se mesmo!". Com outros funis precisava de duas ou três tentativas até ficar bem ajustado. Usei o oval e adaptou-se logo à primeira. É uma pena não ter tido o funil oval logo desde o princípio. Talvez tivesse extraído melhor!"

"Descobrimos que a maioria das mães começa com o funil na posição horizontal, algumas na vertical e poucas na diagonal," diz a Dr.ª Prime. "E muitas mães depois mudam de posição, ou tentam maneiras diferentes de o segurar nas sessões de extração seguintes."

Maior quantidade de leite

Mas talvez o teste mais importante se tenha focado na eficácia do novo funil PersonalFit Flex™ – aumentaria o volume de leite que as mães extraem durante a extração?

Para perceberem isto, os cientistas da Medela realizaram um teste de controlo aleatório.6 Pediram a mães que tinham estado a amamentar exclusivamente, ou predominantemente, durante um a seis meses (e, portanto, tinham uma produção de leite estabelecida e consistente) para fazerem extração dupla durante 15 minutos, com um funil e depois fazerem o mesmo, uma semana mais tarde, com outro funil. Metade das mães utilizaram primeiro o novo funil oval de 105° e as outras começaram com o funil redondo de 90°.

"Demonstrámos que quando as mães utilizavam o funil novo, obtinham um volume de leite significativamente maior," diz a Dr.ª Prime. "Olhando para a 'percentagem de leite disponível extraído', também podemos afirmar que o funil melhorou significativamente a drenagem da mama. Os números reais foram, em média, 11% mais em volume de leite e 4% mais em drenagem."

Como a tecnologia Flex™ oferece flexibilidade

Dois dos extratores de leite elétricos mais vendidos da Medela estão agora disponíveis com tecnologia Flex™: o extrator Swing simples e o extrator duplo Swing Maxi, que incluem dois tamanhos de funis (de 21 mm e de 24 mm). Ou se alugar um Symphony com funil PersonalFit™ Plus da Medela, pode comprar o novo e inovador funil PersonalFit™ Flex para utilizar com ele.

Os dois extratores mais vendidos têm também um conector confortável de segurar, com uma proteção antiderrame integrada (também conhecido como sistema fechado), permitindo-lhe extrair em qualquer posição sentada que seja boa para si.

Isto resultou para a Manuela: "Normalmente, quando extraio, tenho que verificar se o leite ainda está a fluir bem e se nada saiu do lugar. Com este funil oval, tinha a sensação de que nada se movia e podia encostar-me para trás numa posição mais descontraída. Não estava tão obcecada a ver se estava tudo no sítio."

Jeannine concorda: "Como o funil era colocado de maneira diferente no meu peito, sentia que o leite fluía melhor e podia recostar-me, sem ficar com leite a bloquear o funil."

O facto de mães como Manuela e Jeannine se sentirem mais descontraídas e confortáveis utilizando o novo funil podia explicar o aumento do volume de leite, pois o stress e o desconforto podem inibir a hormona oxitocina, que é essencial para a libertação do leite materno.7

Outra teoria para justificar por que razão este novo funil aumenta o volume de leite é o facto de a sua forma corresponder mais fielmente ao contorno da mama. Quando ocorre o reflexo de descida de leite, os canais de leite na sua mama aumentam 68% em tamanho, para receberem todo o leite que flui através deles para o seu mamilo.8 Esta nova forma e ângulo parecem ajudar o leite a fluir mais livremente.

E é este tipo de conhecimento aprofundado acerca da ciência da produção de leite materno que permite à Medela fazer inovações como esta, como explica a Dr.ª Prime:

"A Medela é uma empresa baseada na investigação - está no nosso ADN. Investimos tanto em investigação básica sobre 'como funciona o aleitamento', como em investigação aplicada, como este trabalho sobre o funil que fizemos com as mães. Isto significa que estamos mais capacitados para ter uma base científica para a inovação e uma base de evidências para os nossos produtos, para ajudar mais mães a darem aos seus bebés o seu fantástico leite, durante mais tempo. E assim dizemos que damos vida à investigação, que é, essencialmente, a história por trás da tecnologia Flex™ – é um exemplo muito bom disso."

Referências
  1. Jones E, Hilton S. Correctly fitting breast shields are the key to lactation success for pump dependent mothers following preterm delivery. J Neonatal Nurs. 2009;15(1):14-17. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S135518410800121X
  2. Muther,M. et al. 3D scans of the lactating breast can be used to investigate the breast:breastshield interface. Abstract from the 18th ISRHML Conference. Breastfeed Med. 2016;11(2):A3-A75. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/26894372/
  3. Schlienger,A. et al. Optimisation of breastshield shape with the aim of improving breast expression. Abstract from the 18th ISRHML Conference. Breastfeed Med. 2016;11(2):A3-A75. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/26894372/
  4. Geddes DT et al. Tongue movement and intra-oral vacuum in breastfeeding infants. Early Hum Dev. 2008;84(7):471-477. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18262736
  5. ClinicalTrials.gov [Internet]. Bethesda MD: National Library of Medicine, USA, data on file: NCT02496429; NCT02492139; NCT02719548; NCT03091985 https://clinicaltrials.gov/
  6. ClinicalTrials.gov [Internet]. Bethesda MD: National Library of Medicine, USA, data on file: NCT03091985 https://clinicaltrials.gov/
  7. Newton M, Newton NR. The let-down reflex in human lactation. J Pediatr. 1948;33(6):698-704. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18101061
  8. Ramsay DT et al. Ultrasound imaging of milk ejection in the breast of lactating women. Pediatrics. 2004;113(2):361-367. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14754950