Composição do leite materno: De que é composto o seu leite materno?

Está cheio de nutrientes que alimentam e protegem o seu bebé. Mas sabia que a composição do leite materno varia com o tempo? Descubra de que é composto o leite materno e como muda para satisfazer as necessidades do seu bebé

Breast milk composition bottles

Como se trata do primeiro alimento do seu bebé, as suas expetativas são que os ingredientes do seu leite materno incluam nutrientes básicos essenciais, como hidratos de carbono, proteínas e gorduras, bem como água para o manter hidratado. E incluem.1 Mas o leite materno não é um alimento vulgar - tem um valor que vai para além da nutrição.

De que é feito o leite materno?

Aqui estão alguns dos outros constituintes do leite humano presentes em todas as sessões de alimentação, muitos dos quais não podem ser replicados:

  • Milhões de células vivas. Estas incluem glóbulos brancos, que reforçam o sistema imunitário e células estaminais, que podem ajudar no desenvolvimento e regeneração dos órgãos.2
  • Mais de 1000 proteínas3 que ajudam o seu bebé a crescer e a desenvolver-se, ativam o seu sistema imunitário e desenvolvem e protegem os neurónios no seu cérebro.
  • Todas essas proteínas do leite materno são compostas de aminoácidos. Existem mais de 20 destes compostos no seu leite. Alguns deles, denominados nucleotídeos, aumentam durante a noite e os cientistas pensam que podem provocar o sono.4,5
  • Mais de 200 açúcares complexos denominados oligossacarídeos6 que atuam como prebióticos, alimentando o intestino do seu bebé com "bactérias boas". Também impedem que as infeções entrem na sua corrente sanguínea e diminuem o risco de inflamação cerebral.
  • Mais de 40 enzimas.7 As enzimas são catalisadores que aceleram as reações químicas no corpo. As que estão no seu leite têm tarefas como ajudar a digestão e o sistema imunitário do seu bebé e ajudá-lo a absorver ferro.
  • Fatores de crescimento que sustentam o desenvolvimento saudável.1 Estes têm efeito em muitas partes do corpo do seu bebé, incluindo os intestinos, os vasos sanguíneos, o sistema nervoso e as glândulas, que segregam hormonas.
  • No que diz respeito às hormonas, o seu leite materno contém imensas!7 Estes químicos inteligentes enviam mensagens entre tecidos e órgãos, para garantir que trabalham adequadamente. Alguns ajudam a regular o apetite e os padrões de sono do seu bebé e ainda reforçam a ligação que tem consigo.
  • Vitaminas e minerais – nutrientes que sustentam o crescimento saudável e o funcionamento dos órgãos, além de ajudarem na formação dos dentes e dos ossos do seu bebé.1
  • Anticorpos, também conhecidos como imunoglobinas. Existem cinco formas básicas de anticorpos e todas podem ser encontradas no seu leite.8 Protegem o seu bebé de doenças e infeções, neutralizando bactérias e vírus.
  • Já deve ter ouvido falar de ácidos gordos de cadeia longa porque têm um papel crucial no desenvolvimento do sistema nervoso do seu bebé, ajudando também no desenvolvimento de um cérebro e de uma visão saudáveis.9 E, já adivinhou, também existem muitos destes no seu leite!
  • Os 1400 microRNAs, que se pensa que regulam a expressão genética e ajudam a prevenir ou a parar o desenvolvimento de doenças, sustentam o sistema imunitário do seu bebé e desempenham um papel na remodelação da mama.10

Apesar de já ser uma lista longa, estes são apenas alguns dos ingredientes do seu leite materno e os cientistas continuam a descobrir mais. Surpreendentemente, os níveis destes ingredientes podem flutuar ao longo do tempo, dependendo da idade e das necessidades do seu bebé.

Comecemos pelo princípio...

Os primeiros dias: Colostro

O primeiro leite que os seus seios produzem depois do nascimento do seu bebé chama-se colostro. Este leite materno espesso e pegajoso é muitas vezes denominado "ouro líquido", não só devido à sua cor amarela ou alaranjada, mas também por ser tão importante para a alimentação e proteção do seu vulnerável recém-nascido.

No início vai produzir quantidades muito pequenas - só 40 a 50 ml em 24 horas11 – mas como o estômago do seu bebé é do tamanho de um berlinde, não vai precisar de mais. O colostro também é muito fácil de digerir. E o que não tem em quantidade compensa com qualidade.

A composição do colostro

O colostro tem os mesmos ingredientes que o seu leite virá a ter mais tarde – só que as quantidades destes ingredientes são diferentes, pois vai-se adaptando às necessidades do seu recém-nascido.

Por exemplo, por vezes, referimo-nos ao colostro como sendo uma vacina natural por os seus níveis de anticorpos e de glóbulos brancos serem tão elevados. O seu primeiro leite precisa de os incluir, para poder proteger o seu bebé das infeções e doenças, depois de ele sair da segurança do seu útero.

As qualidades protetoras do colostro também são importantes para o sistema digestivo do seu bebé. Os bebés nascem com um forro permeável no intestino, que o colostro reveste e veda.12,13 Isto é particularmente importante se o seu bebé for prematuro, pois correrá mais riscos de desenvolver a perigosa condição do intestino, enterocolite necrosante (NEC).13

Também é rico em minerais e vitaminas, com mais elevadas concentrações de vitaminas A, E e K que o leite materno maduro. A percentagem de proteínas no colostro também é mais elevada.1 O colostro também atua como um laxante que ajuda o seu bebé a expulsar o seu primeiro cocó, o mecónio.14

Nas semanas seguintes: Leite de transição

Durante a primeira semana de vida do seu bebé, cerca de dois a quatro dias após o parto, o seu leite materno muda em quantidade. Poderá sentir os seus seios a ficarem mais cheios e firmes – uma mudança a que se chama "descida do leite". Ao terceiro dia, o seu bebé consome 300 a 400 ml de leite materno todas as 24 horas e ao quinto dia aumenta para 500 a 800 ml, por isso não é de estranhar que sinta os seus seios maiores!11

Do quinto ao décimo quarto dia, o seu leite chama-se leite de transição.15 Como o nome indica, está a mudar de colostro para leite maduro. Torna-se mais cremoso em cor e textura e também tem um teor mais elevado de gordura, calorias e lactose (um açúcar natural), fazendo com que seja o alimento ideal para o seu recém-nascido em rápido crescimento.

Mas pode ficar descansada que ainda está cheio de anticorpos, células vivas, bactérias "boas" e outros ingredientes bioativos para o proteger e o manter saudável.15

Das quatro semanas em diante: Leite maduro

Quando o seu bebé tiver quatro semanas, o seu leite materno estará completamente maduro. Será rico em proteínas, açúcar, vitaminas e minerais, além de numerosos componentes bioativos, tais como hormonas, fatores de crescimento, enzimas e células vivas, para sustentar o crescimento e o desenvolvimento saudáveis do seu bebé.7

Normalmente, a partir das quatro semanas, o conteúdo nutricional e os níveis de ingredientes no leite maduro permanecem relativamente consistentes. Mas a composição do seu leite materno ainda pode mudar de dia para dia e de uma sessão de alimentação para outra.

Por exemplo, se um dos dois estiver doente, o seu corpo cria anticorpos para combater essa doença em particular, os quais se tornam parte do seu leite. E, surpreendentemente, à medida que o seu bebé começa a explorar o mundo e a pôr brinquedos na boca, o nível de enzimas protetoras que lutam contra as bactérias no seu leite sobe.16 Esta variação na composição do leite materno mostra como se adapta às mudanças nas necessidades do seu bebé.

O que são o leite do início e o leito do final?

Pode notar que o seu leite parece mais espesso e cremoso perto do final de uma sessão de amamentação. Isto acontece porque, à medida que a sessão de alimentação vai progredindo, a composição de gordura aumenta gradualmente, devido à mecânica do leite em movimento na mama. Chama-se frequentemente leite do final, enquanto o primeiro leite, mais "aguado" é conhecido como leite do início. Estes dois nomes podem levá-la a pensar que existe uma troca e que o leite do início passa a ser leite do final. Mas não existe. Esta mudança é um processo gradual.15 Ambos são uma parte essencial de uma sessão de alimentação completa e são ricos em vitaminas, minerais, proteínas e açúcares.

O teor de gordura do seu leite tem que ver com a drenagem da sua mama. Os seus seios estarão mais cheios no início de algumas sessões de alimentação (leite com menos gordura) e mais vazios no início de outras (leite com mais gordura). Por isso, não se preocupe muito com o leite do início e o leite do final. Ao longo das 24 horas o seu bebé acaba por consumir a mesma quantidade de gordura por dia.17

Composição do leite materno ao fim de seis meses

Pode perguntar-se o que acontece ao seu leite se continuar a amamentar durante muito tempo. O seu corpo consegue mesmo continuar a produzir um leite maduro com tanta qualidade durante meses e meses, ou mesmo durante anos? A resposta é: não subestime os seus seios!

Apesar de ser verdade que necessita de começar a introduzir alimentos sólidos aos seis meses, para reforçar as reservas do seu bebé de alguns nutrientes, tais como o ferro,18 o seu leite continuará a representar uma grande parte da sua dieta.

Por exemplo, quando o seu bebé tiver sete meses vai continuar a receber 93% das suas calorias do seu leite materno. Mesmo entre os onze e os dezasseis meses, cerca de metade da sua ingestão diária de calorias virá do seu leite.19

Por isso, descontraia-se, sabendo que ambos poderão continuar a desfrutar dos benefícios da amamentação ainda por muitos meses.

Referências

1 Ballard O, Morrow AL. Human milk composition: nutrients and bioactive factors. Pediatr Clin North Am. 2013;60(1):49-74.

2 Hassiotou F et al. Cells in human milk: state of the science. J Human Lact. 2013;29(2):171-182.

3 Beck KL, et al. Comparative proteomics of human and macaque milk reveals species-specific nutrition during postnatal development. J Proteome Res. 2015;14(5):2143-2157.

4 Zhang Z et al. Amino acid profiles in term and preterm human milk through lactation: a systematic review. Nutrients. 2013;5(12):4800-4821.

5 Sánchez CL et al. The possible role of human milk nucleotides as sleep inducers. Nutr Neurosci. 2009;12(1):2-8.

6 Moukarzel S, Bode L. Human milk oligosaccharides and the preterm infant: a journey in sickness and in health. Clin perinatol. 2017;44(1):193-207.

7 Hamosh M. Bioactive factors in human milk. Pediatric Clinics. 2001;48(1):69-86.

8 Brandtzaeg P. The mucosal immune system and its integration with the mammary glands. The J Pediatr. 2010;156(2):S8-15.

9 Uauy R et al. Essential fatty acids in early life: structural and functional role. Proc Nutr Soc. 2000;59(1):3-15.

10 Alsaweed M et al. Human milk cells and lipids conserve numerous known and novel miRNAs, some of which are differentially expressed during lactation. PLoS One. 2016;11(4):e0152610.

11 Neville MC et al. Studies in human lactation: milk volumes in lactating women during the onset of lactation and full lactation. Am J Clin Nutr. 1988;48(6):1375-1386.

12 Marchbank T et al. Pancreatic secretory trypsin inhibitor is a major motogenic and protective factor in human breast milk. Am J Physiol Gastrointest Liver Physiol. 2009;296(4):G697-703.

13 Herrmann K, Carroll K. An exclusively human milk diet reduces necrotizing enterocolitis. Breast Med. 2014;9(4):184-190.

14 Lawrence RA, Lawrence RM. Breastfeeding: A guide for the medical profession. 7th ed. Maryland Heights MO, USA: Elsevier Mosby; 2010. 1128 p.

15 Martin CR et al. Review of infant feeding: key features of breast milk and infant formula. Nutrients. 2016;8(5):279.

16 Montagne P et al. Changes in lactoferrin and lysozyme levels in human milk during the first twelve weeks of lactation. InBioactive components of human milk 2001 (pp. 241-247). Springer, Boston, MA.

17 Kent JC, et al. Volume and frequency of breastfeedings and fat content of breast milk throughout the day. Pediatrics. 2006;117(3):e387-395.

18 Kuo AA et al. Introduction of solid food to young infants. Matern child health J. 2011;15(8):1185-1194.

19 Dewey KG et al. Breast milk volume and composition during late lactation (7-20 months). J Pediatr Gastroenterol Nutr. 1984;3(5):713-720.