5 desafios da amamentação ao fim de um mês - resolvidos

Dicas de especialista para superar cinco dos mais comuns desafios da amamentação que podem acontecer ao fim de um mês

Breastfeeding problems after one month
Medela expert Cathy Garbin
Cathy Garbin, child health nurse, midwife and lactation consultant:
Cathy foi Investigadora Associada do prestigiado Hartmann Human Lactation Research Group durante sete anos, dando, ao mesmo tempo, apoio a mães que amamentavam nas suas casas e em hospitais. Mãe de dois filhos, continua a trabalhar com famílias, organiza dias de estudo para profissionais de saúde e participa como oradora em conferências internacionais.

Agora que estabeleceu uma rotina com o seu bebé e sabem o que estão a fazer, qualquer dificuldade na amamentação pode parecer uma recordação distante. Mas ainda lhes podem estar reservadas algumas surpresas. Estes são alguns dos meus conselhos para lidar com os potenciais problemas de amamentação que pode ter pela frente.

Desafio 1: Tenho que passar tempo longe do meu bebé

Quer seja devido a um evento social, uma viagem ou um tratamento médico, em alguma altura poderá ter de estar longe do seu bebé amamentado durante algum tempo.

Soluções

  • Extraia leite de forma a um cuidador poder alimentar o seu bebé. Agora que a amamentação está estabelecida, pode extrair e depois armazenar o seu leite materno no frigorífico ou no congelador. Pode ter que ir experimentando para verificar qual a melhor altura para incluir a extração na sua rotina. Algumas mães sentem que a extração de manhã, depois do bebé ter dormido mais tempo, é mais eficaz. Para outras, a melhor altura é 60 minutos depois de amamentar, mas lembre-se que todas as pessoas são diferentes. Não fique desapontada com a quantidade de leite que recolhe no início. Provavelmente vai precisar de extrair duas ou três vezes para obter o suficiente para uma única sessão de amamentação. Tal como acontece com a amamentação, pode levar algum tempo até o seu corpo ser eficiente a extrair leite.
  • Leve um extrator de leite consigo se for perder uma sessão de amamentação. Vai precisar de extrair leite, se for para fora durante mais de umas horas, mesmo que tenha deixado algum para o seu bebé. Extraia tantas vezes quantas amamentaria, para manter a sua produção de leite e para evitar desconforto. Assegure-se de que faz isto regularmente ao longo do dia e evite esperar que o peito esteja mesmo cheio antes de extrair.1 A maioria dos extratores de leite elétricos também funciona com pilhas, pelo que não necessita de ter acesso a uma tomada elétrica.

Desafio 2: Como vou amamentar, agora que estou de regresso ao trabalho?

Se está de regresso ao trabalho, provavelmente vai estar longe do seu bebé por períodos de tempo mais longos e mais frequentes. Por isso, é ainda mais importante encontrar formas de gerir a amamentação e a extração de uma maneira que seja adequada para ambos. Como se descreve acima, pode fazer uma reserva de leite extraído antes de regressar ao trabalho e depois extrair regularmente, enquanto está no trabalho, para manter a sua produção de leite, evitar desconforto e garantir que o seu bebé tem leite suficiente para o dia seguinte. Muitos locais de trabalho estão preparados para a extração e os extratores de leite modernos são eficazes e confiáveis. Se trabalha em horário normal ou em tempo parcial, talvez consiga amamentar o seu bebé diretamente antes e depois do trabalho, bem como à noite.

Soluções

  • Extraia tantas vezes quantas o seu bebé mamaria, pois isto irá ajudar a manter a sua produção de leite, bem como a evitar desconforto e a reduzir o risco de bloqueio dos canais de leite, de mastite e de engorgitamento.1
  • Tente a extração dupla. Além de reduzir para metade o tempo de extração, em média a extração dupla remove mais 18% de leite do que a extração de uma mama de cada vez. O leite também tem um teor de gordura e de calorias mais elevado.2
  • Organize um kit que inclua um extrator de leite e sacos para conservação de leite, além de um sutiã / Top de extração "mãos-livres", se quiser usar um, para levar para o trabalho. Também irá necessitar de um saco térmico para transportar leite extraído.
  • Conheça os seus direitos. Muitos países têm legislação que dá às mulheres o direito de extraírem e armazenarem o seu leite materno em segurança no local de trabalho. Antes de regressar ao trabalho, fale com o seu empregador sobre as instalações e a logística para a extração, para estarem ambos preparados.

Desafio 3: Penso que o meu bebé suga na mama apenas por uma questão de conforto

Por vezes, pode sentir que o seu bebé está a usar o seu mamilo como calmante e não para obter leite. Lembre-se que a amamentação não é só sobre alimentação, é também um conforto para o seu bebé. "A sucção não nutritiva" (em que o bebé suga na mama sem tirar leite) ajuda-o a acalmar-se e a descontrair-se. Deve estar ciente de que sessões de amamentação subitamente mais frequentes ou mais prolongadas podem significar uma produção de leite baixa. Mas isso é pouco provável se o seu bebé estiver a ganhar peso e a produzir a quantidade de fraldas molhadas e sujas prevista por dia.

Solução

  • Seja paciente. O seu bebé necessita que o tranquilize, por isso deixe as coisas fluírem e dê-lhe esse apoio. Normalmente, este período de sucção pelo conforto não dura muito tempo e vai ajudar o seu bebé a sentir-se seguro e amado - o melhor que pode fazer por ele.

Desafio 4: Quero passar da alimentação mista para a amamentação exclusiva

Dados os benefícios do leite materno, tanto para si como para o seu bebé, vale mesmo a pena tentar fazer essa mudança, apesar de a sua produção de leite poder ser baixa, se não tem amamentado com frequência. Se só tem estado a alimentar de forma mista há algumas semanas, pode conseguir aumentar a sua produção de leite. Fale com um consultor em aleitamento materno ou um especialista em amamentação para a orientar ao longo deste processo. Esta jornada é muito individual e está dependente de vários fatores. No entanto, não fique desanimada, pois cada gota de leite materno que dá ao seu bebé é preciosa.

Soluções1,3

  • Dê um impulso à sua produção de leite. Encoraje o seu bebé a mamar com frequência, pois quanto mais leite ele consumir, mais leite vai produzir. Também pode fazer algumas extrações adicionais, como explicado acima. A extração dupla, em particular, pode ajudar a aumentar ainda mais a sua produção de leite.
  • Desfrute de muita pele-com-pele. Tal como quando o seu bebé era um recém-nascido, o contacto próximo ajuda no fluxo da hormona oxitocina, o que, por seu lado, desencadeia a sua produção de leite. Com a vantagem adicional de fazer com que ambos se sintam calmos e descontraídos.
  • Vá reduzindo gradualmente a alimentação com leite de fórmula. Resista à tentação de parar de usar leite de fórmula de repente. Se tem vindo a fazer um complemento após cada sessão de amamentação, vá para todas as outras alimentações enquanto a sua produção de leite aumenta. Verifique de perto as fraldas e o aumento de peso do seu bebé durante este período de transição. Poderá verificar que ele quer alimentar-se com mais frequência no início, o que é perfeitamente normal.
  • Trabalhe com um consultor em aleitamento materno ou um especialista em amamentação. Poderão orientá-la e aumentar a sua confiança de que o seu bebé está a receber tudo o que precisa.

Desafio 5: O meu bebé perdeu o interesse pela amamentação

Se o seu bebé era um entusiasta e de repente recusa a mama sem razão aparente, chama-se a isso uma "greve à amamentação". Pode pensar que ele está pronto para alimentos sólidos ou que o seu leite não o está a satisfazer, mas é pouco provável. Em vez disso, o desenvolvimento da sua visão pode significar que se distrai mais com o mundo que o rodeia. Ou talvez se tenha sobressaltado durante uma sessão de amamentação, esteja a reagir a uma rotina que foi perturbada, tenha o nariz entupido, ou tenha as gengivas doridas devido à formação dos dentes. O que pensa ser falta de interesse pode ser apenas o seu bebé a tornar-se mais eficiente e, portanto, a demorar menos tempo a mamar.

Soluções

  • Seja paciente. Pode demorar alguns dias, mas a maioria das greves à amamentação é temporária. Entretanto, certifique-se de que o seu bebé está a receber todo o alimento de que necessita, alimentando-o com leite extraído.
  • Procure um local sossegado, com o mínimo de distrações. É mais provável que o seu bebé tenha uma boa sessão de alimentação se conseguir concentrar-se e se estiver descontraído.
  • Verifique a sua posição de amamentação. O seu bebé pode rejeitar a sua mama se estiver desconfortável ou não conseguir mover a cabeça para respirar durante a sessão de amamentação.
  • Mantenha a sua produção de leite através da extração. Pode tentar alimentar o seu bebé com o leite materno extraído usando um sistema de alimentação Calma da Medela.
  • Não introduza a alimentação com leite de fórmula ou os primeiros alimentos sólidos. Complementar com leite de fórmula pode fazer com que a sua produção de leite diminua, piorando a situação. Desde que o seu bebé tenha sessões regulares de alimentação com leite extraído, esteja a crescer bem e a fazer cocó e chichi como é previsto, tente não se preocupar. Se tiver menos de seis meses, não introduza alimentos sólidos, pois o seu delicado sistema digestivo pode não estar preparado para isso.
  • Nunca force a amamentação. Tente descontrair-se com o seu bebé e desfrute de muitos abraços e contactos pele-com-pele, oferecendo a mama com frequência e deixando-o tentar agarrá-la por si próprio. O impulso de oxitocina devido à proximidade também vai ajudá-la a extrair leite.4

Continue a ler: Amamentação: O que esperar ao fim de um mês

Referências

1 Kent JC et al. Principles for maintaining or increasing breast milk production. J Obstet, Gynecol, & Neonatal Nurs. 2012;41(1):114-121.

2 Prime DK et al. Simultaneous breast expression in breastfeeding women is more efficacious than sequential breast expression. Breast Med. 2012;7(6):442-447.

3 Amir L. Breastfeeding managing ‘supply’ difficulties. Aust fam physician. 2006;35(9):686.

4 Moberg KU, Prime DK. Oxytocin effects in mothers and infants during breastfeeding. Infant. 2013;9(6):201-206.