Produção de leite materno: como funciona a oferta e procura

Sabia que os seus seios produzem leite para satisfazer a procura do seu bebé? Continue a ler para descobrir factos incríveis acerca da sua produção de leite nos primeiros dias, semanas e meses

Breast milk production: How supply and demand works

O seu corpo consegue produzir leite materno para as necessidades do seu bebé, em todas as etapas da sua jornada de amamentação. Compreender como a sua produção de leite materno é "ativada", o que acontece ao leite quando o seu bebé mama e por que razão a sua produção está sintonizada com ele à medida que ele vai crescendo vai ajudá-la a iniciar a sua amamentação da melhor forma.

O primeiro dia: a sua produção de leite na altura do parto

O seu bebé deverá estar pronto para começar a alimentar-se logo após o parto. O estímulo ativo dele a agarrar na mama e a sugar ritmicamente ajuda a "ativar" as suas células produtoras de leite e a iniciar a produção do seu primeiro leite materno, o colostro.1 Tente amamentá-lo durante esta primeira hora, se possível, e, depois disso, assim que ele mostrar interesse em mamar para ajudar a criar os alicerces de uma boa produção de leite materno no futuro.2

Os primeiros dias: a descida do seu leite materno

Durante esta etapa da produção de leite materno, o seu corpo está à espera que os níveis da hormona da gravidez progesterona desçam (começam a descer depois de expulsar a placenta) e que as hormonas produtoras de leite, incluindo a prolactina, a insulina e a hidrocortisona, entrem em ação. As hormonas vão pô-la no rumo certo para a produção de leite.3 Por volta do terceiro dia após o nascimento do seu bebé, o seu leite materno "desce" e pode começar a sentir os seios bastante mais firmes e cheios.1

O primeiro mês: desenvolver a sua produção de leite materno

Nas primeiras semanas, o seu corpo está verdadeiramente recetivo à remoção de leite, à medida que vai aprendendo quanto leite deve produzir. Os seus níveis de prolactina têm um pico sempre que retira leite dos seios, garantindo que completam o seu desenvolvimento. Este processo também amadurece a composição do seu leite. Durante esta etapa da produção de leite materno, o seu corpo está a produzir leite de transição em quantidades que continuam a aumentar.3,4

As primeiras semanas com o seu bebé são vitais para estabelecer uma boa produção de leite materno a longo prazo. Quanto mais vezes o seu bebé mamar, mais leite vai produzir, através de um processo de oferta e procura. Sempre que é removido leite dos seus seios, quer pelo seu bebé a mamar, quer por si a extrair, eles produzem mais.

Lembre-se de que é normal os bebés mamarem muito – talvez até todos os 45 minutos – o que não significa que não estejam a receber leite suficiente. A amamentação frequente está a ajudar a desenvolver a sua produção, por isso, amamente o seu filho a pedido e não segundo um horário.

"É fácil pensar que não está a produzir leite suficiente nessas primeiras semanas, porque o seu recém-nascido está sempre a mamar, mas isso é natural", diz Jo, mãe de dois filhos, no Reino Unido. "Estamos condicionadas a pensar que um bebé pequenino só vai querer mamar de poucas em poucas horas, mas isso não é necessariamente verdade."

Não se esqueça de que os bebés também mamam pelo conforto. Mamar faz com que o seu bebé se sinta calmo e satisfeito à medida que se adapta à vida fora do ventre materno, além de ajudar os dois a criar laços.

Proteger a sua produção de leite materno no primeiro mês

Se se deixar conduzir pelo seu bebé e o deixar mamar com a frequência que ele quiser, durante o tempo que ele quiser, a sua produção de leite deve adaptar-se.5

Algumas mães tentam aumentar o intervalo entre sessões de amamentação para darem aos seios mais tempo para produzirem leite, mas não é uma boa ideia, pois pode abrandar a sua produção.2

Se não puder amamentar o seu filho diretamente durante as duas primeiras semanas, pode extrair leite para desenvolver e manter a sua produção ao longo deste período crucial e no futuro.

Sabia que dar ao seu bebé biberões adicionais de leite de fórmula sem necessidade pode, na verdade, reduzir a sua produção de leite materno? Significa que os seus seios não estão a receber a mensagem para aumentar a produção de leite materno porque o leite não está a ser retirado. Além disso, se o seu bebé dormir durante mais tempo depois de um biberão, pode perder a próxima ocasião em que mamaria naturalmente.

É o que por vezes se chama a "armadilha do complemento". Ao fim de três ou quatro dias de sessões de alimentação complementadas com leite de fórmula e de menos remoção de leite, os seios recebem a mensagem de que o desmame começou. E reagem reduzindo a quantidade de leite que produzem. Como resultado, o bebé volta a ter mais fome, por isso, muitas vezes, tem de ser dado outro complemento de leite de fórmula. E o ciclo continua... culminando numa verdadeira redução da produção de leite materno, com um bebé que agora é alimentado principalmente com leite de fórmula. 

A sua produção de leite materno para além das seis semanas

Passado o primeiro mês, os picos de prolactina depois da amamentação começam a diminuir, o seu leite está maduro e o seu corpo tornou-se verdadeiramente eficiente a produzir tanto leite quanto o seu bebé necessita. Na verdade, os seus seios começam a trabalhar como se estivessem em piloto automático.4 Por volta desta altura, também poderá senti-los mais moles e a perder menos leite.

Chegada a este ponto, é comum a mãe preocupar-se de que vai "perder o seu leite". Mas, na verdade, é um sinal de que a sua produção de leite materno estabilizou e está agora adaptada às necessidades do seu bebé. É notável que, embora esteja sempre a crescer, o bebé tome apenas mais ou menos a mesma quantidade de leite às seis semanas que tomará até quando tiver seis meses. Poderá achar que o seu bebé mama durante períodos mais longos, mas com menos frequência. Por outro lado, pode haver dias em que mama um pouco menos do que o costume – o apetite de um bebé pode ter flutuações, tal como o de um adulto!

A partir de agora, produz leite apenas numa base de oferta e procura. Ou seja, quanto mais o seu bebé beber (ou você extrair), mais vai produzir.

Mas como é que isto funciona exatamente? Pensa-se que é devido a algo no seu leite chamado FIL (fator inibidor de lactação), que controla a produção de leite. Quanto mais leite a sua mama contiver,2 mais FIL existe, por isso, uma mama cheia produz menos leite do que uma que esteja quase vazia.

A sua produção de leite é normal?

Apesar de ser comum as mães preocuparem-se com a produção de leite materno e com a forma de aumentar a sua produção de leite, quando os bebés são saudáveis e estão a crescer bem, os problemas são surpreendentemente raros.

"Eu estava preocupada com o facto de a minha recém-nascida poder não estar a receber leite materno suficiente, pois ela só mamava durante períodos curtos e sempre de uma mama de cada vez, apesar de eu lhe oferecer as duas", diz Marjorie, mãe de dois filhos, no Reino Unido. "Mas quando utilizei um extrator para extrair leite, fiquei surpreendida e tranquilizada com a quantidade que estava a produzir. Só tinha que continuar a amamentá-la um pouco de cada vez, muitas vezes."

Tenha em mente, no entanto, que nem todas as mães se adaptam rapidamente a um extrator de leite. Também poderá tentar extrair leite à mão e sentir se os seus seios também estão a passar de cheios a vazios.

Se estiver preocupada com a sua produção de leite materno, leia os nossos conselhos sobre como perceber se tem uma baixa produção ou se tem demasiado leite.

Referências

1 Pang WW, Hartmann PE. Initiation of human lactation: secretory differentiation and secretory activation. J Mammary Gland Biol Neoplasia. 2007;12(4):211-221.

2 Kent JC et al. Principles for maintaining or increasing breast milk production. J Obstet Gynecol Neonatal Nurs. 2012;41(1):114-121.

3 Ostrom KM. A review of the hormone prolactin during lactation. Prog Food Nutr Sci. 1990;14(1):1-43.

4 Cox DB et al. Blood and milk prolactin and the rate of milk synthesis in women. Exp Physiol. 1996;81(6):1007-1020.

5 Kent JC et al. Volume and frequency of breastfeedings and fat content of breast milk throughout the day. Pediatrics. 2006;117(3):e387-95.