O que esperar ao trazer o seu bebé para casa

É a altura em que os novos pais percebem que as suas vidas mudaram para sempre. Eis como navegar ao longo das excitantes, mas muitas vezes arrasadoras, primeiras 48 horas em casa com o seu recém-nascido

Bringing your baby home: the first 48 hours

Dependendo da forma como corre o parto, de como está o seu bebé e de onde vive, poderá levar o seu bebé do hospital ou da maternidade para casa após algumas horas ou talvez alguns dias. Se teve um parto em casa, sem complicações, estará logo bem aconchegada na sua cama. Mas, independentemente da quantidade de aulas de preparação para o parto a que foram, ou da quantidade de livros que leram, a realidade de ter um recém-nascido nos seus braços pode fazer com que os pais questionem: "O que fazemos agora?" É normal – há muito para assimilar. Vá com calma, seja gentil consigo própria e não tenha receio de pedir ajuda.

Teremos algum apoio em casa?

A forma como o seu bebé agarra a mama deverá ter sido avaliada por um profissional de saúde, consultor em aleitamento materno ou especialista em amamentação depois do parto, para ajudar a garantir um início da amamentação sem sobressaltos. Mesmo que lhe tenham dito que não há problemas com a forma como o seu bebé agarra a mama, é recomendável que verifique de novo, se tiver alguma preocupação.

Certifique-se de que marca uma consulta com o prestador de cuidados do seu bebé para verificar o peso alguns dias após o parto. Dependendo do local onde vive, poderá ainda estar no hospital ou um assistente de saúde poderá ir a sua casa. Os recém-nascidos podem perder até 10% do seu peso nos primeiros dias, mas devem começar a recuperá-lo no quinto ou sexto dia e ter de novo o peso que tinham à nascença nos dias 10 a 14. Se o seu bebé não seguir este padrão, consulte um médico. 

"Descobri que o meu primeiro filho tinha a língua presa ao fim de alguns dias. No hospital, tinham-me dito que ele agarrava bem a mama e a amamentação não era dolorosa, por isso, só foi diagnosticado porque ele não estava a ganhar peso. O freio da língua foi cortado e ele ficou ótimo depois disso", recorda Emma, mãe de um filho, na Austrália.

Como posso preparar-me para amamentar em casa?

O ideal é ter tudo pronto para o seu primeiro dia em casa com o seu recém-nascido – desde fraldas a musselinas para o seu bebé, a almofadas confortáveis, creme para os mamilos, protetores de seios e snacks e bebidas saudáveis para si. Procure um local confortável e conveniente para amamentar em casa. Provavelmente, vai lá passar muito tempo!

"O meu sofá era muito baixo para me sentar depois da cesariana, por isso, encomendámos algumas almofadas de emergência online", recorda Alex, mãe de um filho, no Reino Unido. "Também criei duas "estações de amamentação" – uma ao lado do sofá e outra ao lado da minha cama – com o indispensável, como snacks saudáveis, água, carregadores de telefone, batom de cieiro, musselinas e o comando da TV. Ninguém tinha autorização para mudar o que quer que fosse!"

De que cuidados vai precisar o meu recém-nascido?

Os bebés pequenos são criaturas muito simples. Desde que estejam bem alimentados, confortáveis e tranquilos, devem conseguir muito desse precioso bem que é dormir!

De facto, o seu recém-nascido deverá estar muito sonolento durante as suas primeiras 24 horas. É usual ele começar a acordar e a alimentar-se com mais frequência no dia seguinte e pela altura em que o seu leite começar a descer (geralmente dois ou três dias após o parto). Use este tempo para descansar e se adaptar, mantendo o seu bebé perto de si durante o dia e a noite, por uma questão de tranquilidade, quer seja num cesto de Moisés, num berço ao lado da cama ou numa funda, se já sair de casa.

É muito natural o seu bebé querer estar ao seu colo – tudo o que ele conheceu nos últimos nove meses foi a si e sair para o mundo pode ser assustador. Ser abraçado e embalado por si, pelo seu companheiro ou por outra pessoa carinhosa e segura vai ajudar a acalmá-lo e a tranquilizá-lo. Tente ir ao sabor da corrente tanto quanto possível – esta fase é curta e vai passar, à medida que ele for crescendo e aprendendo a estar sozinho durante períodos mais longos.

Este contacto pele com pele também liberta em ambos uma poderosa hormona chamada oxitocina. Também é libertada quando está junto do seu bebé, a olhar para ele, a ouvi-lo chorar ou mesmo só a pensar nele. Esta hormona maravilhosa ajuda-os a criar fortes laços mãe-filho que irão durar para toda a vida. Também ajuda o seu leite a fluir durante as sessões de amamentação ou de extração, por isso, quanto mais próxima estiver do seu bebé, mais fácil deverá ser iniciar a sua produção de leite e dar um bom início à amamentação.

Não pode "estragar" um bebé recém-nascido nem criar "maus hábitos" nesta fase inicial, por isso, se algum familiar bem intencionado insinuar que está a fazê-lo, ignore-o. Também não tente habituar o seu bebé a um horário de alimentação. Ele é demasiado pequeno e, de qualquer forma, muitos bebés nunca se adaptam a uma rotina definida. Em vez disso, amamente a pedido sempre que ele mostrar sinais de ter fome, como fazer movimentos com a boca, remexer-se ou fazer movimentos de sucção, o que vai ajudar a estabelecer a sua produção de leite. E utilize uma aplicação como a MyMedela se quiser monitorizar as sessões de amamentação e as fraldas.

Esteja atenta a sinais de que o seu bebé está a receber leite suficiente: a quantidade de cocó e chichi é fundamental. No primeiro dia, deverá ter um ou mais cocós mecónio preto e pegajoso, além de uma fralda molhada. No segundo dia, poderá esperar dois ou mais cocós escuros verde-acastanhados, que gradualmente ficarão menos pegajosos, e dois chichis. Se o seu bebé não fizer isto, contacte o seu profissional de saúde.

De que cuidados vou precisar?

O seu corpo precisa de descanso e de tempo para recuperar, mesmo depois de um parto sem complicações. Deixe a mudança das fraldas, a cozinha e tomar conta dos filhos mais velhos para o seu companheiro ou familiares, tanto quanto possível, ou contrate alguém, se puder. Guarde a sua energia para as semanas atarefadas que a esperam e concentre-se na ligação com o seu bebé e no desenvolvimento da sua produção de leite. Tudo o mais pode esperar.

"Compre online, deixe que os outros lhe preparem umas bebidas e coma muito e com frequência para manter a força", aconselha Gillian, mãe de um filho, no Reino Unido. "Eu achei a primeira semana uma felicidade absoluta, mas a intensidade depois disso foi inesperada. Precisa de estar repousada."

Também não se sinta obrigada a ter a casa cheia de visitas. Convide apenas pessoas que lhe tragam algo de útil ou que lhe deem apoio. "Guarde este momento especial apenas para si, o seu companheiro e o seu bebé, se puder", sugere Kerry-Lynne, mãe de dois filhos, no Reino Unido. "Eu, desde logo, sentia-me embaraçada a amamentar em frente das visitas, o que não ajudava nada o meu bebé a agarrar bem a mama."

De que forma pode o meu companheiro ajudar nos primeiros dias de amamentação?

Apesar de, obviamente, a mãe ser quem tem o principal papel na amamentação, há muitas coisas que o seu companheiro e outros familiares podem fazer para lhe darem apoio e criarem laços com o bebé, como ajudar a sossegá-lo e a acalmá-lo com contacto pele com pele, ou transportando-o numa funda.

Também podem ser um "porteiro", reduzindo as visitas ao mínimo para ter oportunidade para descansar. Muitas novas mães dizem que não conseguem dormir durante o dia, mas com alguma prática e ajuda do seu companheiro, pode aprender a fazer uma curta "sesta revigorante". Mantenha o quarto às escuras e sossegado e sem ecrãs digitais e telemóveis. Mesmo que só se deite durante 20 minutos de sossego, sem distrações, enquanto o seu companheiro toma conta do bebé, já dará para descansar o corpo. Com alguma prática, vai conseguir descontrair-se e até mesmo dormir.

"Eu não teria conseguido aguentar aqueles primeiros dias se não fosse o meu marido", diz Kate, mãe de duas filhas, no Reino Unido. "Tanto com uma como com a outra das nossas duas filhas, ele levantava-se para me passar a bebé para todas as sessões de amamentação, trocava as fraldas e, muitas vezes, levava-as outra vez para a cama. Se alguma delas ficava irrequieta de manhã cedo, ele levava-a lá para baixo e sentava-se a aconchegá-la."

Tem-se demonstrado que este tipo de apoio ajuda na amamentação. Um estudo apurou que as mães pela primeira vez que indicavam ter tido apoio na amamentação por parte dos seus companheiros durante o período inicial após o parto tinham mais tendência para iniciar a amamentação e amamentavam durante mais tempo.1

Por que motivo me sinto em baixo?

É normal sentir-se sozinha e desamparada assim que vai para casa. Não tenha receio de procurar o apoio de alguém que conheça ou de um profissional de saúde. Durante a primeira semana após o parto, muitas mães sentem-se emotivas, chorosas ou irritáveis e sofrem da "nostalgia do bebé" devido ao pico de hormonas quando o leite desce.2 Estes sintomas são normais e geralmente duram apenas alguns dias. No entanto, se estes sentimentos não passarem nas próximas duas semanas ou se se sentir cada vez mais em baixo e desesperada, fale com um profissional de saúde.

"Foi um período muito emotivo e fiquei agradecida a uma amiga por me ter animado e me ter dito que, provavelmente, iria achar o terceiro dia ainda mais difícil", diz Mariah, mãe de um filho, no Canadá. "É normal estes dias serem verdadeiramente duros."

Por que razão a amamentação não vem naturalmente?

Seria de imaginar que algo natural e vital como a amamentação fosse fácil – mas, na verdade, demora-se algum tempo a ganhar o jeito. Tal como aprender a guiar ou aprender uma competência nova, a amamentação exige prática e é normal ter dias bons e dias maus. Isto é um choque para algumas novas mães:  "Eu pensava que seria tão fácil como segurar o meu bebé na mama, mas estava tão enganada!" diz Joanne, mãe de um filho, no Reino Unido. "Falando com amigas, percebo que muitas pessoas pensam o mesmo, mas ninguém diz nada."

Um estudo com mães americanas apurou que 92% se sentiam apreensivas com a amamentação por volta do terceiro dia,3 por isso, se for esse o caso, não se preocupe. Respire fundo e procure aconselhamento. Antes do parto, faça uma lista de números de consultores em aleitamento materno ou especialistas em amamentação e de grupos de apoio ou websites úteis, para o caso de precisar deles.

"Se puder, vá a uma reunião local da La Leche League, para obter conselhos ótimos e camaradagem", sugere Jane, mãe de dois filhos, nos EUA.

Michelle, mãe de um filho, na Austrália, aconselha: "Peça o máximo de ajuda e conselhos que puder a pessoas qualificadas e tente evitar as pessoas não qualificadas, que podem confundi-la nas primeiras 48 horas."

Por fim, não se deixe tentar a dar ao seu bebé um biberão de leite de fórmula porque um familiar "prestável" lhe sugere que talvez o acalme ou lhe permita ter algum descanso ou porque está preocupada por poder não ter leite suficiente. A melhor forma de iniciar a amamentação é todas as sessões de amamentação serem dadas por si própria. É natural os bebés quererem mamar com muita frequência nesta fase e ele poderá estar a mostrar sinais de fome logo 45 minutos depois da última sessão de amamentação, mas isto ajuda a desenvolver a sua produção de leite.

"As primeiras 48 horas são duras – estão os dois a aprender", diz Ruth, mãe de um filho, no Reino Unido. "Peça toda a ajuda que puder, coma biscoitos, descontraia-se e seja gentil consigo própria."

Referências